sexta-feira, 5 de maio de 2017

Lançamento e apresentação da Sua Produtora


Foi um sucesso o coquetel de lançamento e apresentação da Sua Produtora na  terça-feira, 25 de abril.

Os sócios Mauricio Lobato e Cacá de Britto se juntam para oferecer ao mercado uma nova opção de negócio especializado em agenciamento de bandas, grupos, DJs, etc.

Com um moderno estúdio de produção musical, salas de reunião amplas e varanda panorâmica, a empresa está confortavelmente instalada no Alto Santa Lúcia, pertinho da Av. Raja Gabaglia. Nesse nobre endereço, os sócios apresentarão aos clientes as melhores opções para as diferentes festas que acontecem em Belo Horizonte e qualquer outra cidade do país e do mundo.

Os empresários tem grande experiência no segmento e forte relacionamento pessoal. A Sua Produtora nasce com agenda cheia, envolvida em grandes comemorações.
Cacá Lanari registrou:

Juliana Piroli, Mariel Pelli e Leticia Martins

Marina Dinelli e Michel Lara

Maurício Lobato e Cacá de Brito, os anfitriões

Rejane Bernardes e Alex Gomes

Severina Gonçalves e Fabiana Brito

Tulio Rullus e Monica Lipiane 

Ana Flavia Ribeiro e Frederico Mourão
Fernando Trancoso, Elisa Castro, Patricia Campolina e Gisa Masiero

Maria Emília, Letícia Martins, Mariângela Lima, Cacá de Brito
Juliana Freitas e Camille Toledo
Serviço:

Sua Produtora

Rua Amoroso Costa, 88 – Alto Santa Lúcia

(31) 3245.8801

Belo Horizonte - MG

www.suaprodutora.com



segunda-feira, 24 de abril de 2017

AGRONEGÓCIO : Olhar amplo e atento dentro e fora da porteira


 Por Manoel Mário de Souza Barros (*)

                      O Brasil vive um momento histórico relacionado ao agronegócio. Relatórios econômicos internacionais dão conta de um recuo de  2,1 % nos preços dos alimentos à estagnação da economia, a mudança do câmbio e os fatores climáticos. Os últimos seis meses foram atípicos na história da inflação brasileira. Esta deflação de 2,1% nos alimentos retirou a culpa de nossa comida de ser o grande vilão inflacionário.

                         Foi a primeira retração do gênero, entre os meses de setembro e fevereiro desde 1991, ano em que se iniciou a série histórica da inflação de alimentos.

                         Entendemos ainda, que neste ano a carne também poderá cair de preço e ajudar a puxar a inflação para baixo, mesmo ainda, com alguns embargos serem mantidos por alguns países.


                        Evidentemente, que a malfadada operação “carne fraca”, não terá outras conseqüências em outras cadeias produtivas no país. Os preços dos alimentos caíram consecutivamente por seis meses, e notadamente não continuarao caindo. No entanto, a queda não ocorreu na virada do ano, mas entre o primeiro e o terceiro trimestre.


                         As nossas matérias primas do agronegócio no Brasil, entram na composição de produtos em diversos outros setores. O efeito se espalhou. Cerca, por exemplo de 70% da ração na avicultura é o milho. Então, o frango ficou mais barato. Nossa alimentação, fora de casa sofreu um impacto de 25% sobre o preço desses alimentos.


                        Assim, houve retração também no setor de serviços. Vivemos um choque de oferta nos alimentos, só que é um choque positivo que reduz os preços. 


                         O comportamento dos preços da comida foi tão inesperado, que na média, desde setembro,  vários analistas de mercado e também vários jornalistas econômicos, acabaram prevendo índices inflacionários mais altos, do que efetivamente se viu.

                 Finalizando nosso entendimento, a propalada estagnação econômica brasileira, juntos com os fatores já mencionados, reduziram o consumo e aumentou a oferta.


                   Com o câmbio baixo, deixaram as importações mais baratas e nosso clima que favoreceu nossas colheitas. Nossos alimentos de vários tipos ficaram mais em conta, desde frutas, legumes, os chamados” hortifrutigranjeiros”, produzidos pelos pequenos produtores da agricultura familiar e até as grandes matérias primas agrícolas como o milho e a soja, que tem cotação internacional.



 (*) Superintendente Regional da Cia. Nacional de Abastecimento de São Paulo.
Diretor do Agronegócio da Câmara Internacional de Negócios.
Conselheiro do CEDAF do Governo do Estado de São Paulo e do CONSEA do Gabinete do Governador do Estado de São Paulo. 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Jantar dançante no Província Di Salerno

A locomotiva Lilian Furman promoveu o seu primeiro jantar dançante de 2017 no dia dois de fevereiro e, como sempre, prestigiadíssimo. A música ao vivo, de Ênio Bretas, levou os casais a ocuparem a pista. 
Aproveitando a ocasião, a jornalista Lena Brandão foi homenageada pela passagem de seu aniversário, por um grupo de amigos que participavam do evento no restaurante Provincia Di Salerno do querido e famoso mestre da cozinha  italiana, Remo Peluso.
Um encontro muito agradável e que recordava os velhos tempos das badaladas festas do saudoso Eduardo Couri, comentavam algumas pessoas. Aliás, Lilian Furman sempre foi a grande musa do colunista. Fotos de Cleber Piuzana e J. Urias.

Lilian Furman, Remo Peluso e Lena Brandão (J.Urias)
A anfitriã da noite, Lilian Furman e o Marcos (Piuzana)

Luiz Martins entre Edna Soares e Lena Brandão (Piuzana)

Angela Monteiro e Fernando Varella (Piuzana)
Aninha Lopes e Vera Comini (Piuzana)
Denise Souza Carmo, Beth Tourinho e Beatriz Rossi (Piuzana)
Beth e Edmond Curi e Lena Brandão (Piuzana)
Suzely Ortênzio e Lilian Furman (J.Urias)


Cleiton Rossi,Genival Tourinho e Afonso Celso Souza Carmo (Piuzana)
Patrícia Duque, Leonardo Augusto Ferreira e Toninho Augusto Ferreira (J.Urias)
Cacilda Bonfante, Lena Brandão, Niva Viganó, Aurinha Veloso e a sobrinha Luiza Chaves Velloso

Nancy Almeida, Diana Brant e Lena Brandão (Piuzana)
Cleinha Gontijo, Lena Brandão e Cacilda Bonfante (Piuzana)
Lena Brandão, Niva Viganó e Joanadarc Faria

Vera e Afrânio Comini ladeiam a aniversariante Lena Brandão (Piuzana)